0

RES

01 de março de 2020

  1. Se preocupar mais com a vida do outro do que com a sua própria é um sinal ruim - de desgraça pessoal e insegurança com a própria vida

  2. Elite muito ignorante —sem cultura abrangente —incapaz de pensar o país e de ver o outro.

  3. Feiúra: elite brega —sem senso estético algum!

  4. Sentimento autoral excessivo —autonomia no lugar errado / auto referencial? Vontade de estar no controle o tempo todo —dificuldade extrema em se permitir ser possuído por coisas que o sujeito não domina. A pessoa vive num governo absolutista de si mesmo.

  5. Hegemonia do sujeito. Incapacidade de abrir mão do que pensa de si. Prepotência extrema! Prepotência extrema sobre si mesmo, não há espaço para manobras livres, o sujeito se põe num auto campo de concentração.

  6. A dança coletiva no atelier: revelou uma timidez extrema -explicar profundamente está timidez? Timidez formal / timidez psíquica / timidez corporal / timidez intelectual. Timidez esta que aparece em toda nossa produção intelectual até hoje.

  7. Desapropriação profunda de símbolos nacionais e incapacidade de gerá-los.

  8. Não produzir para fora de si - se não produz para fora irá produzir para dentro - quase sempre como doença — produção enferma, sintomática

  9. Complexo de inferioridade

  10. Timidez formal

  11. Educação péssima que tivemos no Brasil -formação não sólida -inconsistente sob todos os aspectos — EDUCAÇÃO MISERÁVEL DO BRASILEIRO

  12. ISOLAMENTO na América Latina (isolamento linguístico dentro da América Latina) somos o único país que não fala espanhol na América Latina.

  13. Carência: como resolvemos nossa carência —falando mal do que não conhecemos —reagimos de maneira péssima a destruição criativa

  14. Arrogância? Entra no lugar de incapacidade de se articular de forma mais qualificada.

  15. Mão de obra desqualificada?

  16. Hiato: separação / aporia—entre prática e teoria / melhor ainda dispomos de maneira esquizofrênica o uso psíquico —isto é: não deixamos as coisas se misturarem dentro de nós. Temos uma ideia fechada do que é bom e do que é mal —são coisas impermeáveis dentro de nós.

  17. Excesso tremendo de se preocupar com o que o outro pensa de nós — espírito colonizado

  18. Explicando melhor item acima: cisão profunda em nosso caráter do que é público e do que é privado. Nunca deixamos o privado virar público e vice versa. Principalmente nosso inconfessado não é discutido nunca. Nossos vícios são proibidos de qualquer discurso.

Atelier do Centro - G1

Rua Epitácio Pessoa, 91, República, São Paulo

3129-3977 // 99537-5396 (RES)

Segunda à sexta: 8h às 17h

atelierdocentro@gmail.com

Galpão do Centro - G2

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

Residência Atelier Luca Parise - G3

Rua Teodoro Baima, 51, SL 2, República, São Paulo 

www.lucaparise.co

CECAC - Centro de Estudos Conglomerado

Atelier do Centro - G4

Rua Teodoro Baima, 51, SL 1, República, São Paulo

Atelier do Centro - G5

Rua Teodoro Baima, 88, República, São Paulo

Coleção Àlex Muñoz - G6

Carrer del Segle, 5, Premià de Mar

08330 - Barcelona, España

OPCAC - Oficina Prática Conglomerado Atelier do Centro

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

www.opcac.xyz

Vernacular - Editora Atelier do Centro

www.ccsvernacular.com

www.medium.com/@carolccs

  • YouTube
  • Instagram

copyright © 2020 Conglomerado Atelier do Centro, todos os direitos reservados