maio 2020

 

Questões gerais para serem levadas a sério! 

Dia 16 de 2020 - sábado — digressões estando aqui!

 

 

  1. Estabelecer prioridades - entender o que é prioridade - e ter coragem para bancá-las!

    1. Uso otimizado do tempo! Estabelecer prioridades - deixar estas prioridades bem visíveis ( incomodando como um problema chato ) que precisa ser resolvido.

  2. Aceitar que alguém pode ter uma opinião diferente da minha, tudo bem, não dá para agradar todo mundo o tempo todo. Aprender a conviver com a diferença. Tomar uma posição, ainda que ela num primeiro momento possa me trazer desconforto e prejuízos. Ter coragem de bancar uma posição e dizer qual ela é. Dizer qual ela é, é fundamental! Ter claro para mim porque estou fazendo isto ou aquilo.

  3. O sintoma é traiçoeiro. Se eu não ficar atento, ele passa a perna direitinho em mim - desistir de querer controlar tudo; como eu acho que deve ser sempre. Abrir mão da unanimidade. Abrir mão da carência absurda de querer agradar o tempo todo, de ser cordial o tempo todo.

  4. Não falamos uma língua, muito pelo contrário, é a língua que nos fala. Estamos enrolados na língua. Emaranhados com ela.

  5. O que mesmo é que fode um indivíduo e o faz tomar péssimas decisões para seu futuro ( ou ainda ): permite que sejam tomadas decisões em seu nome? Há um abismo entre tomar uma decisão e permitir que circunstâncias externas tomem uma decisão por você ( que a demanda externa esteja no controle ) — o terreno é minado — qual é o instrumento de medição do grau de acerto ou erro? Ou entre omissão e missão? Para onde estou indo, como saber se é este o caminho certo? Como posso de verdade estabelecer um campo sólido para enfrentar o inimigo da indiferença dentro de mim? Como posso de verdade lutar por um lugar claro, clareira, social e político meu mesmo? Como posso estar minimamente lúcido para saber se o que eu estou fazendo, estou fazendo por mim ou pelo outro? Estou em posse de mim para tomar esta decisão ou esta decisão é um arranjo conveniente de coisas que não quero realmente enfrentar comigo ( sei que estou adiando algo ) — Procrastinando.

  6. Estar fazendo o meu rolê, O que é isto? O que é realmente isto? Como saber? Qual indício eu tenho do mundo externo que estou fazendo a coisa certa (que o que estou fazendo não é só um delírio meu ) ou então, esta pergunta não é válida, e vou fazer de algo, ainda que um delírio, a minha coisa (e ainda vou ter força suficiente para validar esta coisa louca no mundo) — como por exemplo fizeram Warburg e Nietzsche — ainda que a um preço muito alto. Legitimar um mundo próprio não é fácil. Encontrar um meio mais eficiente do que Nietzsche e Warburg encontraram para isto é tarefa de um artista no futuro da humanidade.

  7. Conviver com críticas é fundamental para um artista, conviver com oposição e adversidades é um atributo essencial para quem quer ter uma vida própria (assumir uma posição é mais importante do que uma decisão que não se sabe se é própria ou é alheia ao sujeito). Quando decido e consigo explicar meu ponto: sou adulto. Tomar uma decisão séria implica em fechar muitas portas (deve-se estar consciente disto) — e obviamente outras portas se abrirão. Saber fazer a contabilidade de que portas quer fechar e quais quer abrir e quando, faz parte de estar experienciando a vida adulta.

  8. Mesmo duramente criticado — se mantenho minha posição e mantenho meu caminho, como posso saber se é o momento de ouvir o outro ou ouvir eu mesmo? Quando não ouvir críticas é burro, e quando é bom? Quando devo asseverar no meu caminho e quando não? Depende claro de quem é seu interlocutor. Qual a baliza de seu mediador? Seu conselheiro, sua régua de medida está se reportando a quê? Qual o grau de ambição de quem está servindo de modelo para você?

  9. Um grande psicanalista falou o seguinte: um psicanalista só pode levar a análise, conduzir a análise de um analisando, até onde ele foi com a sua própria análise, isto é — se você apresentar uma questão cabeluda existencial para ele que ele mesmo não enfrentou ou superou, não poderá te ajudar, ou ainda, se ele, não foi tão fundo em sua própria análise, não poderá ir fundo com você — faltar-lhe-á fôlego.

  10. Lentamente você chegará lá, todos teremos que chegar lá — é uma questão de tempo (para uns mais, e para outros menos tempo).

 

Contribuições de RES para o entendimento e aprofunda-mento da palavra decidir

 

14 de maio de 2020

quinta-feira

 

 

 

Decisão vem de decidir, que vem de “decidere” que chega ao termo em latim “caedere”, que nos conduz à palavra latina: CAEDES — que por sua vez significa MATANÇA, massacre, carnificina. Indo mais longe ainda até o latim de Horácio, — sacrifício de animais — ; e para terminar com Virgílio (isto é na acepção que Virgílio fornece para CAEDES) — significa derramamento de SANGUE.

 

Frases para quem fica:

Dia 14 de maio de 2020

Quinta feira

 

 

“Mi obra ha sido la de un matemático, que se desentiende deliberadamente de lãs aplicaciones (a las otras ciencias) y de lãs motivaciones y raíces psíquicas de su trabalho. De un matemático, en suma, conducido por su gênio particular a aumentar 

Sin cessar al arsenal de las nociones fundamentales de su arte.”

Alexander grothendieck

Cosechas y siembras

Universidade des sciencies et techniques du languedoc, montpellier y centre national de la recherche scientifique

 

 

 

Caralho, como me identifico com este cara, como escolhi de maneira dura um caminho, não arredei pé dele, mesmo que ele estivesse na contramão ( contra intuitivo ) do sucesso fácil e dócil. Escolhi optar por arte como ciência, como desbravamento do mundo, como pensamento crítico, como uma arma apontada e carregada, contra decisões prontas, contraproducente, minha obra é contraproducente, por isto mesmo é uma obra. A frase final de Grothendieck cai como uma luva para o meu projeto artístico: quero obsessivamente criar com meu trabalho de arte, sondas de alta amplitude e de resistência a temperaturas altíssimas para investigar o interior do solo artístico, sondas estas que em plena ação, quero poder fazer a manutenção delas, e incrementá-las cada vez mais. Quero ser este cientista-mineiro, que no final do dia estará com a cara suja de carvão, mas que tombará no sofá com a missão incumprida, porque sabe que a missão não tem fim, e no dia seguinte muito cedo estará no fundo da mina novamente fazendo seu dever, fazendo seu trabalho: cavoucando mais e mais, sem limite.

 

298 (da prática do sábio)

 

 

“Para se tornar sábio, é necessário querer viver certas experiências, portanto, lançar-se na goela dos acontecimentos. É verdade que é muito perigoso; muitos sábios foram assim devorados.”

 

O viajante e sua sombra

Nietzsche

 

Resumo filosofia do aleijado de RES:

 

 

Anti-custódia total

Filosofia do desabrigo

“FACILIS DESCENSUS AVERNI”

 

“INTER SACRUM ET SAXUM STARE”

 

“AURIBUS LUPUM TENERE“

 

 

Sub-título de esculturas futuras

 

 

MANE GARRINCHA :

“AURIBUS LUPUM TENERE

 

Reflexões gerais do dia

11 de maio de 2020

 

 

  1. Vírus - quarentena? O que está por trás disto? Subterrâneo? Sorrateiro? Silencioso?

  2. Estado de urgência? Por que os americanos criaram um pensamento autônomo e não colonizado e nós não? Por que eles criaram um John Dewey e nós não? O que aconteceu conosco? O que não deu certo, para além da perspectiva de Acemoglu — eu já desconfiava que tinha mais coisa, assim que terminei de ler o livro de Acemoglu, mas não tinha certeza, lendo a história recente da filosofia americana, confirmei minhas suspeitas (Peirce, Santayana, Whitehead, Dewey e William James). Estou quase agarrando o que eu acho que escapou de Acemoglu (Porque as nações falham).

  3. Déficit de atenção, o que é isto, por que isto está instalado em nosso tempo? Falta de fôlego? Timidez? Arrogância: quando não se tem nada!

  4. Filosofia americana? Não paga pau para europeus! Não colonizada.

  5. Arte — pensadores da arte dos últimos 100 anos (teóricos ) — mapa preliminar. [Estética ] terminar ele esta semana! Tentar ser o mais abrangente possível! Etnologia Carl Einstein — nasceram no século 19 e morreram no século 20. Quase todos eles.

  6. Arte pré-colombiana?

  7. Arte como experiência?

  8. Dewey: Como pensamos? — título de um livro seu (quarenta anos antes de Heidegger escrever O que significa pensar?) incrível a falta de timidez americana.

  9. Política nacional ( eleições ) — escolha do próximo ministro do supremo tribunal federal? Só Bolsonaro pode indicar!

  10. Reforma fiscal? Selic? No curso do método, Alemão explicar o que é taxa selic

  11. Distração? Enrugar os músculos do espírito!

  12. Energia? Como explicar melhor esta palavra, dar corpo e medida para ela? Tirá-la de um lugar obscuro — como Dewey tentou fazer com a palavra intuição! Intuição é muito vago - não quer dizer nada e tudo ao mesmo tempo. A comida tem energia, o que eu quero dizer com isto — a comida é boa, mas não tem energia (não é xamânica) — o que estou querendo dizer com isto? O que entra em jogo aqui, quando me faço entender assim! Vale a pena tentar dar corpo para as palavras obscuras e sem definição precisa! Este foi um grande esforço dos filósofos americanos. Eles eram caras do cotidiano.

  13. Experiência: conhecimento proveniente do esforço de enfrentar a matéria, o cotidiano, o dia a dia, a resistência dos materiais, as adversidades do dia — quero que minha obra plástica seja uma resposta contundente a isto. Ou seja, um trabalho de arte forjado na própria experiência de fazer, uma sabedoria proveniente totalmente do fazer (complica) porque entendo ler também como fazer, entendo não fazer também como fazer, entendo contemplar também como fazer. Parece uma contradição, mas não é.

  14. O dia a dia: a rotina, a profissão, os problemas concretos de quem desafia a realidade, os dados, a matéria. Uma profissão (profissional) é quem está disposto a existir, mesmo que não queiram que ele exista.

  15. Uma profissão não cai do céu: é uma conquista. Uma luta (principalmente para as mulheres). Não querem que as mulheres tenham uma profissão de verdade. Uma mulher querer uma profissão é uma afronta. Uma mulher querer ser uma mulher é uma afronta!

  16. Fazer bem feito é uma afronta. Não fomos ensinados a fazer bem feito, não fomos ensinados a querer mais das coisas. Queremos sempre menos (quanto menos uma mulher querer ser ela, mais aplauso masculino ela terá)

  17. Concentração tem um preço: nunca é de graça. Sem concentração não tem estudo. Sem concentração não tem arte séria. Concentração leva ao fôlego.

  18. Acrescentar Gell no meu mapa + Carl Einstein

 

Lista de reflexões de sábado

9 de maio de 2020

 

 

 

  1. Arte - produção (hoje a vontade de escrever supera em mim a vontade de ler de modo ordinário). O pragmático é muito forte, o mundo real é brutal em mim. Sua demanda é muito grande.

  2. Há um modo de ler extraordinário — levar o dito a sério é uma empresa grave. Pois leio hoje de um modo muito alterado. Minha leitura do mundo é expansiva. Mesmo como leio um filme (vejo) é pragmático.

  3. Exemplo: como chego a um nome, Ta-Nehisi Coates — por exemplo este escritor americano negro. Vendo uma única cena do filme O protetor 2. Eu particularmente fico assistindo o filme do filme ou seja, os bastidores do filme em ação (seu pano de fundo)

  4. Fazer um pôster do filme Stalker: Diguinho imprimir para mim um pôster deste filme para emoldurar — cartaz que tem um triângulo com fundo todo preto. Ocupar espaços inusitados da casa com pôster de filmes. Um cartaz italiano talvez!

  5. Pensar o mundo estatisticamente? Em números ! Fazendo cálculos. O dinheiro movimentado com arte no Brasil é uma piada (o montante de dinheiro movimentado pelas galerias brasileiras é insignificante. Não entra no jogo da arte internacional. O Brasil não conta.

  6. Como cozinhar bem? Como fazer uma boa comida, que elementos entram nesta contabilidade?

  7. Fazer arte? O que é isto mesmo? O que é pensar arte do ponto de vista de quem faz?

  8. Teoria de um ponto de vista de quem faz a coisa e não é espectador dela (participa de algum modo de sua cadeia funcional)

  9. Contabilidade é só o começo de uma organização séria!

  10. Ta-Nehisi Coates (comprar Entre o mundo e eu)

  11. Com o poeta polonês que se suicidou, aconteceu a mesma coisa: Rafal Wojaczek se matou com 26 anos - vi esse nome na série polonesa fraca Rojst.

  12. Leituras subliminares (que você pode fazer no seu dia a dia)

 

O que é importante para um artista ou pessoa envolvida em pensar arte no século XXI

RES escrever princípios básicos

Novo estatuto do artista-pensador?

 

 

 

  1. Investimento que um artista está disposto em fazer no seu trabalho, na sua obra, na sua busca? Em dinheiro. Capital em dinheiro vivo?

  2. Ter uma forma de administrar este dinheiro investido - controle

  3. Infraestrutura de uma carreira artística? Coisas ligadas diretamente à produção e coisas indiretas ligadas à produção — estas indiretas, é muito comum o artista não levar em conta. Dentro destas indiretas, estão: os custos com a parte emocional da vida de um artista, investimentos psíquicos para estar bem.

  4. Parte prática ligada totalmente à execução do trabalho material.

  5. Parte teórica ligada ao trabalho (intelectual), recursos de formação de um artista. Tudo que envolve seu aprendizado e formação contínua.

  6. Mecanismos que este artista tem de estar no mundo - de inserção, de fazer sua obra girar, de comunicação, de vendas, de visibilidade de sua obra — nesta parte conta também os esforços que o artista faz para ele mesmo estar no mundo. Ele mesmo se inserir (não a obra). Parte de sociabilidade de um artista. De sua capacidade de interagir, de trocar informações em muitos meios diferentes (acadêmicos e não acadêmicos) — espaços conservadores e espaços não conservadores.

  7. Preservação desta obra

  8. Panorama geral da coisa: cena artística local e internacional (estar a par dos acontecimentos)

  9. Contexto de um tempo: político, social e econômico. Neste caso, vivemos um contexto macro, muito específico, que é a entrada num novo século, que coincide com a entrada numa nova era da humanidade, que será a era da exploração do espaço. E com isto a robótica e a computação quântica e a inteligência artificial.

  10. Ou seja: outra forma de processar dados, outra forma de epistemologia, outra forma de cognição. Que altera para sempre nossa forma de pensar arte, ver arte, e provavelmente fazer arte e se relacionar com ela. Investimentos inimagináveis terão que ser feitos pelos novos artistas (tanto investimentos de ordem emocional - jamais vistos - como investimentos financeiros) — será necessário uma nova cartilha para o artista, que lhe ensine tudo como pela primeira vez, ele terá que esquecer tudo que aprendeu. Provavelmente será mediante muito sofrimento. Sem sacrifícios profundos o cérebro não aceitará rodar um novo programa. Seu cérebro terá que ser arrombado.

 

Coisas que não vi em toda minha vida (carreira de artista e professor) senti falta destas profissões 

 

07 de maio de 2020

 

  1. Um bom galerista, um cara realmente sério, que sacasse as várias dimensões desta carreira, mais facetas desta atividade (gostaria de no futuro ter um galerista robô) gostaria de ser representado por uma galeria dirigida totalmente por robôs.

  2. Um crítico de arte consequente e público (que escrevesse diariamente num jornal). Que fosse um cara do dia a dia, da vida. Do cotidiano.

  3. Um crítico de arte que escrevesse realmente bem — dominasse o mundo do espírito, desenvolto, desimpedido.

  4. Um agente de artista - um cara que fizesse uma mediação entre o artista e o sistema da arte. Que ajude o artista a se promover ou vendesse seu trabalho (isto é ele, o artista)

  5. Um puta cientista

  6. Um puta médico

  7. Gostaria de ter um amigo robô artista (acho que o próximo grande filósofo da arte e do mundo será um robô) será uma máquina ! Mistura de máquina e humano. Gostaria de ser lido por uma máquina no futuro.

  8. Gostaria de ter colecionadores transumanos.

 

História verídica de RES para seus queridos discípulos

 

5 de maio de 2020

 

Vou contar uma história que aconteceu comigo quando eu tinha exatamente 28 anos e era recém chegado em São Paulo, vindo do interior, também recém casado, morava próximo à estação da Luz, onde o judas perdeu as botas, estava desempregado, depressivo, sem emprego e no fundo do poço; estava tão no fundo do poço, que acreditava, de tão desesperado que acharia dinheiro na rua. Era meu costume sair pelas ruas do bairro para procurar dinheiro na rua, andava sempre olhando para o chão, um dia achei R$ 100,00, em vez de comprar comida para casa ou pagar o aluguel, comprei um peixe e um aquário.

 

Silêncio

RES

— dia 05 de maio de 2020

 

Para Gustav Klimt

 

 

Como traduzir as coisas: vazio, expressão, socorro !

Socorrer, usar a língua portuguesa de um jeito único

Para isto acontecer tem que viver de um jeito único a sua própria vida

Gratidão, agradecimento, RES quer muito agradecer a Deus, ao infinito, ao que é claramente maior que ele — não importa o nome que isto tenha, mesmo que não tenha nome, mesmo que não tenha forma, pouco importa, mesmo que ele esteja errado, pouco importa, importa agradecer.

Gratidão, rezar, oração, prece, “voluto”, consagração, amor, vocação, escolhido, eleito, messias...

benzedeira, benzer, benção, uma coisa leva a outra, uma incapacidade leva a outra incapacidade maior ainda

De tão cheio de incapacidades

Tombo para a janela de mim

Tombo, vaso para aquilo que me faz frente, e desapareço, e reapareço num lugar inesperado

Cheio de luz, de uma luz sem

Nome, fresca, cheia de vontade de vida.

Esvaziar, xícara vazia, silenciar, um tipo de mudez

Um tipo de açude

Um tipo de igarapé

Uma palavra que jamais usaria: [não é minha]

Minha: é o que não me pertence

O que pertence já não é mais meu

O que pertence ruiu

O que pertence passou

O que pertence se foi

O que pertence faliu

O que pertence não é meu

Deus do céu onde estou?

Onde vou? Onde me é aqui?

Onde sou eu em mim?

Onde sou eu onde não sei de mim?

Pois onde sei de mim, ui!

Rompendo isto tudo estou ainda

Em algum lugar de mim, quem sou eu para me referir-me a mim?

O que me autoriza-me a me referir?

Para me referir tenho que ter posse de um perímetro de mim,

Sem isto, sou quarteirão inteiro desconhecido, em busca de termos ideais para um poema

Termos ideais para viver a minha custa, custa caro,

Pago um alto preço para ser eu, [e não sobra tempo para ser mais nada ] e isto me garante o quê?

Vale a pena pagar um custo tão alto para ser eu, para quê? Se posso sair por aí, e ganhar a vida mais descompromissadamente, — MINTO — mas, pelo menos menos autoritariamente comigo mesmo, não é isto que eu queria dizer — mas o que eu queria mesmo dizer nunca vou chegar até ele, nem sei se é “ele”, o próprio “ele” se desfaleceu, “ele” pode ser “ela”, e “ela” pode ser transumano. Tudo em que acreditei não existe mais, estou em pele nua, ao vento, não sinto frio, só as faces coradas.

 

Dia onde uma sucessão de coisas absurdas, realmente absurdas, aconteceram

 

Lista anexa

 

4 de maio de 2020

 

 

 

 

  1. Nova ordem do mundo e das coisas — para muito além de uma trama percebida por nós na superfície, portanto o colapso de um sistema de organização emocional e gerenciador de “afecções”

  2. Episódio 8 — “Crisis theory” (Westworld) obra prima deste começo de século “é difícil pra cacete ter livre arbítrio, é difícil pra cacete”. Dolores. Arte já era — Streaming é arte! Começou a revolução!

  3. Foto jornalística de uma mãe e um bebê recém nascido na quarentena — melhor foto que vi nos últimos tempos no Brasil (melhor que obra inteira de Sebastião salgado — tem algo que ele com todo seu apelo visual e étnico não consegue nem chegar perto — simplicidade e sublime de uma foto simples de jornal diário.

  4. Inexplicabilidade do processo realizatório desta mesa da Lila (são tantas passagens absurdas, que dá já um livro só para ela )

  5. Poema final de Ezra Pound (Os cantos) anna por favor comprar os cantos em inglês para RES (RES quer fazer uma versão deste último poema dos cantos

  6. Fazer desta lista mesma uma forma jamais vista de poesia até RES escrever esta lista - aqui está inaugurada uma nova forma de poesia e pensamento poético do futuro.

  7. Carta que escrevi hoje para Cris ! Uma vulnerabilidade cheia de elegância

  8. Planilha que ensinei Alemão fazer de valores para Lila

  9. Planilha salário/hora trabalho no CAC ! Valores que passarão a vigorar no CAC (novos)

  10. Um novo modo de lidar com o tempo

  11. Um novo modo de lidar com a insuficiência (modo totalmente estocástico de fazer isto) em breve RES explica como isto funciona na prática — capacidade de nomear ( nomenclatura ) para coisas vividas corriqueiramente, dizendo de outro modo, um modo de sintetizar falas ou conceitos, dar forma articulada para coisas sentidas de maneira rude .

  12. Gastronomia : como um lugar de energia ( como um lugar de calor ) . Como um lugar de presença descomunal de quem faz ! Lugar de deixar o outro estarrecido ( não com temperos — mas com apenas o gosto da coisa mesma , que nunca está na coisa mesma , mas precisa ser demonstrado , o chefe faz aparecer o que a coisa mesma por si só não é capaz .

Atelier do Centro - G1

Rua Epitácio Pessoa, 91, República, São Paulo

3129-3977 // 99537-5396 (RES)

Segunda à sexta: 8h às 17h

atelierdocentro@gmail.com

Galpão do Centro - G2

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

Residência Atelier Luca Parise - G3

Rua Teodoro Baima, 51, SL 2, República, São Paulo 

www.lucaparise.co

CECAC - Centro de Estudos Conglomerado

Atelier do Centro - G4

Rua Teodoro Baima, 51, SL 1, República, São Paulo

Atelier do Centro - G5

Rua Teodoro Baima, 88, República, São Paulo

Coleção Àlex Muñoz - G6

Carrer del Segle, 5, Premià de Mar

08330 - Barcelona, España

OPCAC - Oficina Prática Conglomerado Atelier do Centro

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

www.opcac.xyz

Vernacular - Editora Atelier do Centro

www.ccsvernacular.com

www.medium.com/@carolccs

  • YouTube
  • Instagram

copyright © 2020 Conglomerado Atelier do Centro, todos os direitos reservados