Sobre a sessão de desenho de Res - A morte de Vera - 13 de fevereiro de 2018

March 14, 2018

 

RES começa a sessão de desenho com uma folha fixada a um compensado na

vertical, outra folha fixada em um suporte móvel de madeira horizontal. Dentro

do suporte horizontal, onde fez furos em sua superfície, adiciona uma nova folha.

Essa última folha, não só não está completamente fixada, como não é possível vêla ser afetada por suas ações até ser removida desse compartimento.

 

Outra decisão técnica tomada em relação aos três últimos desenhos - que antes mediam 1,50 x 150 m -, Rubens tirou 60cm das folhas resultando em quadrados de 1,20 x 1,20 m. Como se a redução dos dois primeiros desenhos permitisse exatamente a existência de um terceiro.

 

“ A carne é um peso difícil de se carregar. Mas é difícil o que nos incumbiram; quase tudo o que é grave é difícil: e tudo é grave. Se chegar a reconhecer isto é a alcançar,- partindo de si, de sua inclinação e de sua maneira de ser, de sua experiência e infância – uma relação inteiramente sua (livre de convenções e costumes) com a carne, não mais deverá temer o perder-se e o tornar-se indigno de sua posse mais preciosa.”

Reiner Maria Rilke

 

A morte de Vera.

 

Uma facada na bolsa de carga de caneta, ela se espalha no papel como o sangue de um trabalhador que caiu do terceiro andar de um edifício em construção - pois os construtores não haviam feito proteção por conta do custo - e fraturou a cabeça, se espalha no asfalto.

 

Esse homem estava saudável, o sangue que se expande pelo asfalto na noite ainda está quente, o sangue que se expande pelo asfalto ainda possui o calor da vida.

O impacto de seu corpo no chão foi brutal, ele não resistiu. Quando os bombeiros chegaram já era tarde, ele precisava de resgate imediato.

Rubens não suporta mais que um sangue que ainda possui o calor da vida seja deixado para esfriar no chão que seus pés estão pisando. O segundo desenho sofre a hemorragia, não dá para estancar toda aquela vida que vaza, mas é possível uma transfusão de sangue.

 

“Nada pode ser obtido sem sacrifício. Para se obter algo é preciso oferecer algo em troca de

igual valor.”

Full Metal Alchemist

 

Para a vida, Rubens entregou seus anseios, sua revolta, sua angustia, seu amor, seus vícios, sua vaidade, sua miséria, suas qualidades, sua fúria. Tudo o que possui, foi entregue a vida.

Mas para cada coisa entregue a vida, ele recebe algo de mesma quantidade de energia de volta que já não tem mais a ver necessariamente com ele, mas algo que possui uma energia da sua origem, da força que une seus genes para formação do feto até os organismos que vão consumir sua carne quando seu corpo físico já não mais possuir calor.

 

“Os grandes artistas só devolvem a humanidade que você já tem.”

RES

 

Os desenhos descontrolados são a redenção da vontade do homem. São a comunhão com a sua origem, a natureza.

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

October 24, 2018

October 22, 2018

October 16, 2018

October 16, 2018

October 16, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Atelier do Centro - G1

Rua Epitácio Pessoa, 91, República, São Paulo

3129-3977 // 99537-5396 (RES)

Segunda à sexta: 8h às 17h

atelierdocentro@gmail.com

Galpão do Centro - G2

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

CECAC - Centro de Estudos Conglomerado

Atelier do Centro - G4

Rua Teodoro Baima, 51, SL 1, República, São Paulo

Atelier do Centro - G5

Rua Teodoro Baima, 88, República, São Paulo

Coleção Àlex Muñoz - G6

Carrer del Segle, 5, Premià de Mar

08330 - Barcelona, España

OPCAC - Oficina Prática Conglomerado Atelier do Centro

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

www.opcac.xyz

Vernacular - Editora Atelier do Centro

www.ccsvernacular.com

www.medium.com/@carolccs

  • YouTube
  • Instagram