Lisa carteirinha.png
  • Instagram

SESSÃO DE SEXTA RES

02.12.2016

LISA GORDON

Sou discípula de RES (Rubens Espírito Santo) há 4 anos. 

Coleciono-o há 3 anos, sendo que o pacto de desenhos tem 2 anos de duração. 

Desde o inicio desse pacto, já foram 24 meses - ou seja, 24 escolhas feitas. 

Me lembro de cada uma das vezes quase com perfeição - das variantes que passaram pela minha cabeça, critérios, maluquices, ponderações, etc.

Lembro do final de semana que fiz verdadeiramente a primeira escolha do pacto. Não escolhi ter uma coleção propriamente. 

Queria estar mais perto do meu mestre, ter um papel mais importante na sua vida, fazer com que a minha presença, de verdade, contribuísse.  

Hoje tenho essa vontade materializada nas paredes da minha casa, num trambolho de armário na sobreloja e em duas mapotecas lotadas. 

 

Engraçado como as coisas são.

Demorou dois anos para eu perceber o quão cega estive esse tempo todo. Acho que nunca entendi, de verdade, que esse pacto é bilateral. Que concerne tanto a mim quanto ao Rubens. Que implica tanto ele quanto eu.

Percebo hoje que esse pacto (e a coleção que se desenvolveu dele) não é só uma desculpa para um gênio criar sua obra, mas uma promessa de uma relação de verdade. Uma troca de amor. Um investimento de fé um no outro. Uma parceria. 

 

Eu entendo agora o peso de ir buscar o cheque. 

Eu entendo agora a palavra sacrifício. Não tem nada a ver com um tipo de martírio ou abandonar aquilo que você ama. Muito pelo contrário, é a manutenção exigida para você ter aquilo que você mais ama. São as preliminares para o que tem de mais belo na sua vida poder existir.  

 

Entendo agora que nunca vou conseguir falar desses desenhos como se eles fossem externos á mim, como se eu não estivesse até o último fio de cabelo implicada neles. 

 

Antes achava que o que eu queria era conseguir falar deles. Mas não. O que eu quero é conseguir me construir á ponto de estar á altura deles, á altura desse amor que foi concedido á mim. É me arar e trabalhar para de verdade conseguir ser um receptáculo desse amor, e assim, conseguir sustentá-lo. 

 

Essa é a minha verdadeira responsabilidade

+ colaboração lisa gordon