G1

Tentativa de definir conceitos básicoS da plataforma de aprendizagem técnico-virtual - textos para o alemão Stefan — Anna Israel por favor traduzir para inglês.

Key concepts of the method -

key elements of the functioning of the method:

1.Assistências (capacitação):

 

Momento onde o discípulo (operador técnico de novas tecnologias de contato humano e digital), pretendente a artista , iniciante , realiza uma tarefa destituído de coisas comezinhas (é sua chance) — o iniciado tem a chance de estar diante uma tensão incomum no seu cotidiano para ele mesmo, está imbuído de uma força que o excede, de uma violência que não é só dele, mas é também do grupo todo, melhor uma força que ele terá ainda que conquistar para si - porque neste momento trabalhando para o mestre está imbuído de uma força que o ultrapassa, a assistência é exatamente este momento onde o discípulo é atravessado por algo que o excede, uma violência que ele tem mas não acessa de um modo construtivo sempre, na assistência ele opera está força, sem que está força produza nele um mal, neste momento este excesso de energia se movimenta para o seu melhor — o seu melhor é um upgrade da capacidade de realização. Uma motivação a mais.

Mas assistências o sujeito movimenta uma carga de energia, violência, maldade, destruição — que não resolvida, não solucionada, não trabalhada — pode causar doenças graves. Modo poderoso de articular nossas habilidades naturais e se por num lugar de tensão e tentar resolvê-lo da melhor maneira possível (num plano ficcional) um lugar de simular modos simples de construção de uma fala não sintomática — de descobrir como é a melhor forma de falar consigo mesmo.

Na assistência trabalhamos de verdade o que é o espírito de maneira pragmática. É uma espiritualidade praticada, em ação, na vida. Além de aprendermos a verbalização precisa do mundo, um modo potente de oratória.

 

A assistência é uma forma de fala articulada no mundo. É um depoimento, mais que isto, é um testemunho. Um direito que nós damos de estarmos no nosso melhor — um ataque frontal a autonomia sistêmica do nosso tempo — autonomia que nos afasta de realmente quem somos. Autonomia cognitiva do passado, autonomia como ferramenta de articular nossa vaidade e arrogância. Servir ao mestre é servir ao que temos de melhor em nós. Servir é um modo agressivo de perceber que não se trata de nós — que existem forças maiores que nós e que nós desconhecemos.

descrito por Rubens Espírito Santo

1.Assistance: 

 

It’s a moment where the disciple, artist to be, initiate, performs a task stripped from the “little things” (this is his chance!). The initiate has a chance to face a very unusual tension in his daily life, he’s inoculated with a force that exceeds him, he’s inoculated of a violence that’s not only his, but of the whole group, or even, he’s inoculated of a force that he still will have to conquer for himself - as for in this moment, whilst working for the master, he’s imbued with a force that transcends him; the assistance is exactly this moment when the disciple is penetrated by something bigger than him, a violence that he has but not always accesses in a constructive way. In the assistance, he operates this force, without this force causing harm to him; in this moment, this excess energy drives what’s best in him — his best is an upgrade of his achievement capability. A motivation more. 

 

In the assistances, the person drives a load of energy, a load of violence, of evil, of destruction that could cause serious damage if not articulated, if left unsolved. The assistance is a powerful way of articulating our natural abilities and putting yourself in a situation of tension and trying to solve or overcome this situation as best as you can. (On a fictional level) A space to simulate simple ways of developing a non-symptomatic speech - a space for figuring out the best way to talk to one’s self. 

In the assistance, we really work the spirit in a pragmatic manner. It’s a pragmatic spirituality, in action, in life. In addition, we learn the precise verbalization of the world, a powerful way of oratory.

 

The assistance is a form of speech articulated in the world. It’s a statement, or even more, it’s a testimony. It’s a right that we give ourselves to be at our best — it’s a frontal attack on the systemic autonomy of our time, an autonomy that actually really drives us away from what we really are. Cognitive autonomy from the past, autonomy as a means to articulate our arrogance and vanity. To serve the master is to serve what we have best in us. Serving is a powerful way of realizing that it’s not all about us — that there are forces much bigger than us and that are unknown to us.

Tradução para inglês de texto RES: Anna Israel